O inexplicável Catarina, o primeiro furacão no Brasil: Estamos preparados para as mudanças climáticas?

Foto 3D: Catarina na costa Brasileira

Em 2 de abril de 2004 foi produzido um artigo pela NASA (Administração Nacional de Aeronáutica e Espaço dos Estados Unidos) sobre o Catarina, logo após este furacão ter atingido o litoral sul do Brasil em 28 de março de 2004. O título The Nameless Hurricane (O Furacão Sem Nome) se explica pelo fato de jamais ter sido preparada uma lista de nomes para ciclones tropicais no Atlântico Sul, já que até então se acreditava ser impossível um furacão nesta região.

As listas de nomes são preparadas por centros regionais previamente definidos pela WMO (Organização Meteorológica Mundial). Já o nome Catarina foi dado por meteorologistas brasileiros e acabou se popularizando, sendo adotado inclusive por algumas instituições internacionais.

Imagens de satélite do Catarina

No artigo, Robbie Hood, pesquisadora de furacões da NASA, diz “Isto apanhou realmente todos desprevenidos, não é para furacões ocorrerem nessa parte do mundo.” Satélites meteorológicos têm orbitado a Terra há mais de 40 anos. Durante esse tempo, localizaram furacões (também chamados “tufões” ou “ciclones”) no Oceano Atlântico Norte, e em ambos os lados do Equador nos Oceanos Pacífico e Índico, mas nunca antes no Atlântico Sul.

Quando a tempestade atingiu o Brasil, observadores locais nem tinham mesmo a certeza de que era um furacão. O Brasil não tem uma rede de estações meteorológicas estabelecidas em terra para medir os ventos e as chuvas das tempestades tropicais. “Não há caçadores de furacões no Brasil,” acrescenta Hood. “As tempestades são tão raras.”

Trajetória do Catarina

O Catarina veio como um alerta: mudanças climáticas importantes estão ocorrendo em todo o mundo e se nós no Brasil não começarmos a prestar atenção, a estudar e combater suas causas conjuntamente com todos os outros países, seremos novamente pegos de surpresa por um outro furacão “sem nome”… O Catarina causou prejuízos que devem ser lembrados: 500 casas arruinadas, barcos de pesca afundados, e pelo menos duas pessoas mortas e mais de 1500 pessoas desalojadas. Não tínhamos plano de evacuação e informações de procedimentos de emergência preparados.

O que temos feito então desde 2004? A história têm se repetido com outros problemas e resultados semelhantes, chuvas torrenciais e secas, deixando milhares de desabrigados e mortos sob escombros dos deslizamentos. Medidas como planejamento urbano, contrôle meteorológico, planos de evacuação e atendimento médico e logístico às regiões afetadas têm de ser criadas e implantadas o quanto antes, ou ficaremos sempre à mercê do clima.

Com informações da Metsul – Publicado em Julho/2009 e atualizado em Fevereiro/2011

Suco, néctar, polpa… saiba quais as diferenças entre eles e escolha o que é melhor para sua saúde

Você está no supermercado e fica frente a frente com com diversas embalagens de sucos, néctar, polpas congeladas, sucos orgânicos…. e muita gente não sabe a diferença entre um e outro.

Veja aqui quais os prós e contras de cada tipo e escolha o que é melhor para sua saúde!

Suco

 

SUCO

O QUE É: o líquido que vem do esmagamento da fruta. De acordo com a legislação brasileira, a maioria dos sucos não pode conter água para pertencer à categoria. “Isso só não vale para os sucos feitos de frutas tropicais, como pitanga, tamarindo, caju, cupuaçu. Neste caso, sem adicionar água não é possível extrair o suco”, observa o coordenador geral de vinhos e bebidas do Ministério da Agricultura, Helder Moreira Borges.

CONTRAS: Em termos de composição nutricional rica em vitaminas, o suco é sempre campeão. “Mas, por ser mais concentrado, tem mais calorias, o que pode ser ruim para quem precisa emagrecer. Além disso, algumas frutas têm índice glicêmico alto, o que dificulta o controle da diabete. Este é o caso de uva, pêssego, goiaba e laranja. Prefira manga”, indica o médico Durval Ribas Filho, presidente da Associação Brasileira de Nutrição (Abran).

 

Néctar

NÉCTAR

O QUE É: Já ouviu a expressão ‘néctar dos deuses’? Ela tem um sentido muito positivo. É por isso que o governo estuda outra nomenclatura para classificar este tipo de bebida. “O nome sugere que o néctar é superior ao suco, o que não é verdade”, diz Moreira Borges, do Ministério da Agricultura. “Néctar significa doce. É uma bebida que já vem adoçada e diluída em água, pronta para consumir”, diz Vera Barral, do Idec.

CONTRAS: O teor de polpa é menor do que no suco. “No néctar, coloca-se de 20% a 30% de polpa, o resto é água e açúcar“, diz Ribas Filho, da Abran. Além disso, os produtos nacionais ainda não trazem no rótulo o volume de açúcar. “A dica é escolher frutas pouco ácidas, que precisem de menos açúcar. O néctar de limão sempre levará mais açúcar do que o néctar de banana ou goiaba, naturalmente doces”, lembra o pesquisador Rogério Tochinni, consultor técnico do Instituto de Tecnologia de Alimentos (Ital).

 

BEBIDA DE FRUTA

O QUE É: Também aparece no mercado com o nome de refresco de fruta. “É a bebida com a menor concentração de fruta da categoria. Pode ser até levemente gaseificada”, detalha Vera Barral. “Cerca de 8% de sua composição corresponde à polpa de fruta“, frisa o médico Ribas Filho, da Abran.

CONTRAS: Nesta versão está liberado o uso de corantes artificiais – substâncias proibidas tanto no suco como no néctar. “Alguns são especialmente nocivos para as crianças, pois podem provocar alergias”, salienta Vera. “Por outro lado, costumam ser menos calóricos, o que favorece adultos que precisam controlar o peso”, completa Ribas Filho.

 

POLPA CONGELADA

Polpa congelada

O QUE É: Suco ou néctar de fruta vendida em porções individuais, em saquinhos. Em geral, é batida com água no liquidificador. “Se não tiver açúcar, é boa opção“, indica Vera.

CONTRAS: Para o consumo fora de casa, a preocupação é com a qualidade da água. “Se ela for ruim, clorada, altera o sabor do suco. Prefira a mineral”, diz Tochinni, do Ital. “O mecanismo de conservação é rústico, com difícil comercialização e transporte. No processo de congelamento a fruta perde algumas propriedades nutricionais , fica mais suscetível à oxidação”, explica Ribas Filho.

 

DESIDRATADO

O QUE É: Conhecido como suco de pozinho, para diluição em água, embora não devesse ser chamado de suco. É bastante artificial. “Para cada 100g de produto seco (pó) há só 1g de polpa de fruta – o que equivale ao teor de um refrigerante à base de fruta”, compara Tochinni, do Ital.

CONTRAS: Nem todas as frutas podem ser convertidas em pó com facilidade. “Essa questão limita um pouco a diversidade de sabores. Além disso, não me lembro de ver suco integral em pó, apenas bebidas com baixíssima quantidade de polpa”, completa Tochinni.

 

Orgânico

ORGÂNICO

O QUE É: Feito a partir de frutas cultivadas sem agrotóxicos. “Quando você compra um orgânico, leva mais do que um produto, compra uma filosofia de produto. Não é só um item que não recebeu defensivos agrícolas no plantio. Também há condições de trabalho adequadas para quem está envolvido na produção e um mecanismo de transporte e distribuição que respeita o meio ambiente. Para crianças, mais sensíveis aos agrotóxicos, são bem-vindos”, diz Tochinni, do Ital.

CONTRAS: Como não levam conservantes, tendem a durar menos que itens tradicionais e costumam ser mais caros.

 

Fonte:Agência Estado

%d blogueiros gostam disto: