Survival International denuncia invasão madeireira em território dos índios Awá-Guajá

Caçador Awá-Guajá-foto Fiona Watson/SURVIVAL

A organização britânica Survival International de defesa dos direitos indígenas teve acesso a um relatório da Fundação Nacional do Índio (FUNAI) segundo o qual as terras dos índios Awá-Guajá, no Maranhão, foram as mais desmatadas entre todas as terras indígenas situadas na Amazônia Legal, em 2009. Ainda segundo a ONG, entre 60 e 100 deles conseguiram permanecer isolados da Ti Araribóia, território que tambem vem sendo destruído paulatinamente por madeireiros e colonos.

A notícia da invasão das terras Awá-Guajá está no site da Survival International, e afirma que as autoridades brasileiras estão cientes do problema e nada fizeram para retirar os invasores e proteger os índios. De acordo com a Survival, o relatório da Funai, mostra que 31% da floresta na TI Awá (MA) foi ilegalmente derrubada. Os Awá-Guajá são considerados o último povo caçador-coletor da Amazônia.

Fonte: http://www.socioambiental.org/nsa/detalhe?id=3254 – Instituto Socioambiental

 

De acordo com o Jornal Le Monde “Como todos os grupos indígenas sempre viveram isolados, os Awá-Guajá são particularmente vulneráveis às doenças mais comuns, como a gripe ou o sarampo, contra os quais seu sistema de defesa imunológico é ineficaz.”

 

 

Lago Vostok: Escondido sob o gelo há 35 milhões de anos, atiça a curiosidade dos pesquisadores

Imagem: news.discovery.com

Estudos geológicos determinaram que o lago Vostok se formou há 50 milhões de anos e está coberto por gelo há 35 milhões de anos. Se existiam formas de vida no lago, e elas sobreviveram, estão isoladas de todo o resto do bioma da Terra há ao menos 15 milhões de anos. Por causa da alta pressão, a quantidade de oxigênio e nitrogênio dissolvida na água é 50 vezes maior que a da atmosfera. Sabemos também que a água do lago é renovada continuamente. À medida que o gelo se acumula na superfície e é compactado, as camadas mais profundas derretem e se misturam. O excesso de água se transforma em gelo.

Se a curiosidade dos cientistas é grande, a preocupação é maior. O perigo é a possibilidade de contaminação da água do lago. Pelo buraco feito pela sonda russa podem entrar gases da atmosfera, contaminantes químicos ou seres vivos que nunca tiveram a chance de crescer em um lago rico em oxigênio. O medo é que a atividade humana destrua os seres vivos que talvez habitem o lago.

Leia mais:

Um lago realmente oculto – vida – Estadao.com.br.

%d blogueiros gostam disto: