INPE lança aplicativo que permite avaliar desmatamentos

Inpe desenvolve aplicativo que possibilita representar e simular diferentes processos de mudança de uso e cobertura da terra, como desmatamentos, expansão da fronteira agrícola e desertificação

O Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) lançou o Land Use and Cover Change (LuccME) – uma ferramenta de código aberto para a construção e customização de modelos de mudança de uso e cobertura da terra.

Desenvolvida pelo Centro de Ciência do Sistema da Terra (CCST) do Inpe, a ferramenta é uma extensão do ambiente de modelagem TerraME, resultado de parceria entre o Instituto e a Universidade Federal de Ouro Preto.

De acordo com o Inpe, o aplicativo possibilita representar e simular diferentes processos de mudança de uso e cobertura da terra, como desmatamentos, expansão da fronteira agrícola, desertificação, degradação florestal, expansão urbana e outros processos em diferentes escalas e áreas de estudo. Uma das aplicações desse tipo de modelo é a construção de cenários espacialmente explícitos de futuros alternativos.

O LuccME poderá ser utilizado por instituições de ensino, organizações da sociedade civil, iniciativa privada e órgãos públicos, como secretarias de planejamento de estados e municípios.

A ferramenta foi projetada para facilitar a construção e o reuso de modelos por pessoas que não possuem um forte conhecimento de programação de computadores.

Além disso, o LuccME possibilita aos usuários melhorar os componentes de modelagem já implementados dentro de seu ambiente, bem como criar novos componentes baseados em ideias e teorias preexistentes e inovadoras, tanto do ponto de vista computacional como das novas abordagens nos chamados sistemas socioecológicos.

Outra característica é facilitar o acoplamento dos modelos LUCC a outros modelos do sistema terrestre, visando à construção de modelos integrados. Para isso, a ferramenta utiliza as facilidades de encapsulamento e acoplamento de modelos oferecidas pelo TerraME.

O LuccME é usado no Inpe para a construção de modelos operacionais de mudança de uso da terra em diferentes biomas brasileiros, acoplados ao modelo de emissões de gases do efeito estufa por mudanças de cobertura da terra. Tais modelos serão utilizados na análise de cenários de mudança de uso da terra até 2050, por sua vez acoplados a modelos climáticos, hidrológicos e de vegetação, no contexto do projeto Amazalert.

Mais informações: www.inpe.br.

Fonte: Agência FAPESP

Anúncios

Deixe uma resposta - Lembramos que não serão permitidos comentários com conteúdo ofensivo

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: