Fortes chuvas causam estragos nos estados da Região Centro-Oeste

Cuvas em Minas

As fortes chuvas dos últimos dias já causam estragos em estados da Região Centro-Oeste. Em Goiás, ao menos 141 pessoas foram desalojadas desde o final de dezembro. Moradores das cidades de Luziânia, da Cidade de Goiás, de Itumbiara, Porangatu e Palmeiras de Goiás sentem os efeitos da temporada de chuvas. De acordo com a Defesa Civil estadual, pelo menos 112 construções foram danificadas.

Em Luziânia, o Rio Vermelho voltou a subir no último domingo (8), alagando ruas e casas do centro da cidade. Segundo a prefeitura, que decretou estado de emergência, 15 famílias foram desalojadas e tiveram que buscar abrigo na casa de parentes ou amigos. A prefeitura vai fornecer a essas famílias auxílio-aluguel no valor de um salário mínimo (R$ 622) por pelo menos seis meses. De acordo com a Defesa Civil estadual, 16 edificações foram danificadas e serão necessários R$ 6 milhões para reparar os prejuízos, inclusive nas construções particulares que foram atingidas.

Ontem (10), dois diretores da Agência Goiana de Transportes e Obras visitaram a cidade e discutiram a construção de ao menos duas pontes, uma na região central de Luziânia e outra na rodovia GO-010, que liga a cidade a Goiânia. Ainda de acordo com a prefeitura, uma emenda parlamentar destinando R$ 9 milhões ao município foi aprovada no final do ano passado e R$ 2,4 milhões já foram liberados e estão sendo destinados a obras de infraestrutura, como a canalização do córrego do Rio Vermelho.

O governador de Goiás, Marconi Perillo, e o prefeito de Luziânia, Célio da Silveira, estão reunidos neste momento, em Brasília, com o ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra, tratando da liberação de recursos para auxílio às vítimas e reconstrução dos danos.

A Defesa Civil estadual estima que, na Cidade de Goiás, a cheia do Rio Vermelho e do Córrego Manoel Gomes tenha provocado um prejuízo de R$ 5 milhões, afetando parte do calçadão do centro histórico, galerias pluviais e danificado duas pontes. Em Itumbiara, os prejuízos podem ultrapassar R$ 2 milhões. Já em Porangatu, onde 56 casas foram afetadas, os danos chegam a R$ 380 mil. Em Palmeira de Goiás, onde um lago transbordou danificando 35 edificações, o prejuízo estimado é de R$ 1,5 milhão. 

No Distrito Federal, a Defesa Civil informou que nos primeiros dez dias de janeiro já choveu 53% do total esperado para todo o mês. Desde setembro de 2011, dez casas de várias regiões (Ceilândia, Fercal, Park Way, Sobradinho e Planaltina) tiveram de ser interditadas e 36 foram notificadas devido aos riscos decorrentes das chuvas. Vinte e cinco áreas de risco em dez regiões administrativas, identificadas em julho de 2011, estão sendo monitoradas.

Embora não haja registro de mortes, feridos ou desabrigados, a Defesa Civil informou que o volume de chuvas aumenta o risco de desabamento de muros, desmoronamento de encostas, inundações e desabamentos. O órgão alerta as pessoas a ficarem atentas ao aparecimento de trincas ou rachaduras nas paredes, nível de água subindo e à infiltração de água no solo, principalmente em terrenos acidentados.

A previsão é de que continue chovendo em todo o Distrito Federal e em Goiás até a próxima sexta-feira (13).

Fonte: Agência Brasil
Anúncios

Deixe uma resposta - Lembramos que não serão permitidos comentários com conteúdo ofensivo

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: