Maquina de Venda Reversa: Empresa mostra como separar residuos usando tecnologia, na Rio+20

venda reversaDizem que é na crise que surgem as melhores oportunidades. Com o paulista Thiago Von Gal foi isso mesmo o que aconteceu. Em 2008, levado pelas dificuldades econômicas que assolavam a Europa, ele fechou a empresa de turismo que havia aberto em Berlim, na Alemanha, dois anos antes. De volta ao Brasil, Von Gal decidiu apostar em uma ideia que conheceu no velho continente.

Trata-se da Máquina de Venda Reversa (RVM, sigla em inglês), equipamento que identifica, coleta e compacta os materiais recicláveis de forma automática, sem a necessidade de intervenção humana. E cada produto recolhido gera um crédito financeiro.

Na Europa, o cidadão recebe o retorno em forma de desconto na próxima compra do produto. Mas, no Brasil, Thiago conta que precisou adaptar o modelo de negócio por causa da falta de consciência ecológica da população. “Ainda não temos uma educação ambiental difundida amplamente e, por isso, adaptamos o negócio. Funciona em parceria com indústrias e supermercados. O consumidor leva suas embalagens usadas até os pontos de coleta e, depois de colocar no equipamento, recebe benefícios que variam conforme a empresa que contrata o serviço”, explica Von Gal, que hoje exerce o cargo de consultor na Eco RVS, importadora das máquinas.

O empreendimento é destaque na Feira do Empreendedor: oportunidades de negócios verdes, promovida pelo Sebrae durante a Rio+20, a conferência sobre sustentabilidade das Nações Unidas que acontece no Parque do Flamengo (RJ) até o dia 23 de junho.

A máquina aceita latas de alumínio e metal, garrafas PET, plásticos, vidros e embalagens de produtos de beleza e limpeza. Cada RVM é programada para reconhecer e armazenar resíduos em diferentes compartimentos, deixando-os preparados para o transporte seletivo. A própria Eco RVS leva o material já selecionado para as cooperativas de reciclagem. “Com isso, promovemos também inclusão social”, destaca Von Gal.

As máquinas são fabricadas na Noruega e já são conhecidas dos europeus desde a década de 1970. No entanto, a tecnologia ainda é estranha no dia a dia do brasileiro. Segundo Thiago, as altas taxas cobradas sobre a importação do equipamento representam a maior dificuldade para a ampliação do negócio. Ele defende a adoção de uma política fiscal diferenciada para os produtos que trazem benefícios ambientais. “O imposto sobre tecnologias de reciclagem deveria ser zero”, defende.

 

Futuro

A Eco RVS oferece coleta de resíduos e treina os clientes para o manuseio da máquina. Os equipamentos podem ser adaptados ao ramo de atividade das empresas. A ideia é espalhar equipamentos por supermercados, shoppings, metrôs, parques, faculdades e lojas de conveniência. De olho no futuro, a empresa aposta na implantação da Política Nacional de Resíduos Sólidos no país, que obriga empresas e diversos setores industriais e estabelecer ações efetivas para a destinação adequada dos produtos.

Fonte: Agência Sebrae de Notícias

Anúncios

Uma resposta to “Maquina de Venda Reversa: Empresa mostra como separar residuos usando tecnologia, na Rio+20”

  1. Orange Matos Feitosa Says:

    Muito boa, a iniciativa desse brasileiro, espero que haja investimento público nesse sentido e veja estamos atrasados somente quarenta anos!!!!!!! E este é o país do futuro! Qual futuro????

    Curtir


Deixe uma resposta - Lembramos que não serão permitidos comentários com conteúdo ofensivo

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: