ONU lança campanha global no Dia Mundial da Ação Humanitária 2013

whd2013

Para marcar data, lembrada sempre em 19 de agosto, ONU e parceiros humanitários lançam campanha inovadora chamada “O mundo precisa de mais…” com o objetivo de transformar as palavras em apoio real para pessoas.

Anualmente, no dia 19 de agosto, todos os trabalhadores humanitários que perderam suas vidas na tentativa de ajudar as pessoas em necessidade são lembrados por meio da sensibilização para questões humanitárias e dos esforços para ajudar as pessoas.

Este Dia Mundial da Ação Humanitária também marca 10 anos desde que a sede das Nações Unidas em Bagdá, no Iraque, foi bombardeada e 22 trabalhadores da ONU e de agências humanitárias foram mortos – incluindo o chefe da Missão, o brasileiro Sergio Vieira de Mello.

No ano passado, a comunidade humanitária atingiu mais de um bilhão de pessoas no mundo por meio da campanha “Eu estive aqui”.

Nossa meta para 2013 é aproveitar esta incrível expressão de boa vontade em todo o mundo e fazer algo que nunca foi feito antes. A ONU e seus parceiros humanitários estão lançando uma campanha chamada “O mundo precisa de mais…” para transformar palavras em apoio real para as pessoas.

“Nós sabemos que as necessidades humanitárias estão crescendo e, se formos atender a essas necessidades crescentes, temos de fazer as coisas de forma diferente”, disse a chefe humanitária da ONU, Valerie Amos.

Computador Baixe o folheto e saiba como irá funcionar a campanha em www.onu.org.br/docs/whd2013.pdf

Fonte: onu.org.br

Anúncios

Campanha da ONU contra desperdicio de alimentos chega aos campos de futebol brasileiros

pensarcomerpreservarCampanha promovida pelo Pnuma e pela FAO busca reduzir a quantidade de comida que é jogada no lixo todos os anos; iniciativa chegou aos campos de futebol brasileiros.

A campanha da ONU "Pensar.Comer.Conservar. Diga não ao Desperdício", lançada em janeiro, ganhou os campos de futebol brasileiros.

O Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente, Pnuma, e a Organização para Agricultura e Alimentação, FAO, alertam que 1,3 bilhão de toneladas de comida vão parar no lixo todos os anos.

Objetivo

O objetivo da iniciativa é fornecer informações para evitar o desperdício, reduzir o impacto ambiental e poupar recursos.

A campanha ganhou mais força na semana passada quando uma faixa promovendo o evento foi mostrada durante um jogo entre o Flamengo e a Portuguesa, no estádio Mané Garrincha, em Brasília.

Segundo o Pnuma, o Flamengo é um dos times mais populares do país, com mais de 35 milhões de torcedores, só no Brasil. Mais de 17 mil fãs pagaram ingresso para ver a partida entre os dois clubes.

Copa do Mundo

desperdicio-alimentos_thumbO Mané Garrincha vai ser uma das arenas usadas durante a Copa do Mundo de Futebol no ano que vem pela Fifa. O estádio foi construído com vários dispositivos sustentáveis, como por exemplo, paineis solares para reduzir os gastos com energia e um sistema de coleta de água da chuva usado para irrigar o gramado.

O Pnuma avisou que continuará apoiando o governo brasileiro em projetos verdes. A agência da ONU vai fornecer também aos torcedores que forem assistir a Copa do Mundo em 2014 os chamados "passaportes verdes", que incluem informações sobre regiões de turismo sustentáveis".

Fonte: Rádio das Nações Unidas – unmultimedia.org

Smiley nerd Saiba mais sobra a campanha aqui no blog em "Pensar. Comer. Preservar: nova campanha do PNUMA e da FAO contra o desperdicio alimentar"

 

Nova ferramenta online da FAO disponibiliza dados sobre saúde das florestas

06-28-fao-forestUma nova plataforma online lançada em 28/06 pela Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO) permite que cientistas e especialistas em mudanças climáticas calculem dados cruciais para criar estratégias de bioenergia, como o volume das florestas, a biomassa e o carbono florestal.

A plataforma GlobAllomeTree foi desenvolvida numa parceria da FAO com o centro de pesquisa francês CIRAD e pela Universidade de Tuscia, da Itália. O objetivo é fornecer informações para basear a tomada de decisões políticas sobre as mudanças climáticas.

“Esta é a primeira vez que os países têm acesso a uma extensa base de dados de modelos de árvores utilizada para avaliar os recursos florestais em todo o mundo. Isso lhes permite obter uma imagem clara sobre as capacidades de armazenamento de carbono das suas próprias florestas”, disse o diretor da FAO para florestas, Matieu Henry.

Na área florestal, a alometria refere-se às relações estatísticas entre as diversas características do tamanho da árvore. Equações alométricas podem ser usadas para avaliar muitos serviços florestais como a produção de madeira, mas também a redução dos efeitos das mudanças climáticas no setor florestal por exemplo.

A ferramenta permite aos usuários avaliar o volume do caule, a biomassa arbórea e os estoques de carbono a partir de características como o diâmetro do tronco, a altura e o peso específico da madeira de vários tipos de árvores de zonas ecológicas diferentes.

A partir de agora, a plataforma abrange 61 espécies de árvores em sete diferentes zonas ecológicas na Europa, 263 espécies de árvores em 16 zonas da América do Norte e 324 espécies em nove zonas ecológicas na África. As ferramentas de cálculo para o Sul e Sudeste da Ásia e para as Américas Central e do Sul serão enviadas para a plataforma em breve.

O site será particularmente útil para os países que participam do Programa Colaborativo das Nações Unidas para a Redução de Emissões por Desmatamento e Degradação Florestal em Países em Desenvolvimento. Eles serão capazes de avaliar com precisão estoques de carbono florestal e as mudanças nos estoques de carbono.

Fonte: onu.org.br

Foto: Plataforma GlobAllomeTree ajuda países a identificar mudança no estoque de carbono das florestas. / Origem: FAO/North West Sub-FIPI

Militares brasileiros coordenam instalação de postes de luz à base de energia solar no Haiti

haiti energiaUm projeto de baixo custo está ajudando a aumentar o bem-estar e reduzir a violência em Porto Príncipe, capital do Haiti. O “Luz e Segurança”, coordenado por militares brasileiros e patrocinado pela Missão das Nações Unidas para a Estabilização no Haiti (*MINUSTAH), está instalando postes de luz à base de energia solar nas áreas mais vulneráveis da cidade.

“Quando ficava escuro, todo mundo tinha que ir para casa. Ladrões vinham nos roubar. Agora, é possível ficar conversando até mais tarde”, conta a moradora de Cité Soleil Lucie Nazon, de 28 anos.

são mais de 120 postes num período de cinco meses, com benefício direto a 6,4 mil pessoas.

Fonte: onu.org.br

Smiley nerd *MINUSTAH – A Missão das Nações Unidas para a estabilização no Haiti ou MINUSTAH (sigla derivada do francês: Mission des Nations Unies pour la stabilisation en Haïti), é uma missão de paz criada pelo Conselho de Segurança das Nações Unidas em 30 de abril de 2004, por meio da resolução 1542,1 para restaurar a ordem no Haiti, após um período de insurgência e a deposição do presidente Jean-Bertrand Aristide.

Os objetivos da missão são principalmente:

  1. Estabilizar o país.
  2. Pacificar e desarmar grupos guerrilheiros e rebeldes.
  3. Promover eleições livres e informadas.
  4. Formar o desenvolvimento institucional e econômico do Haiti.

Casco_azul_con_una_niñaEm 2004, o Brasil assumiu a liderança da força militar internacional no Haiti no âmbito da Missão das Nações Unidas para a Estabilização do Haiti (Minustah) à frente de contingentes de vários países, no contexto de vacância do poder no país, decorrente da partida do presidente Jean-Bertrand Aristide.

No terremoto que atingiu o Haiti em 2010, resultando na morte de 220 mil pessoas, a Minustath teve um papel fundamental no processo de reconstrução do país, ainda em curso. Após o desastre natural, o Brasil aumentou sua participação na Missão, com um contingente de cerca de dois mil homens, e apoiou – ao lado de Canadá, União Europeia, Estados Unidos, França e Espanha – a realização do processo eleitoral de 2011, quando Michel Martelly foi eleito presidente do país.

Fonte: wikipedia / brasil.gov.br

Agricultura: Paraná é sede da primeira unidade de coordenação de projetos da FAO (ONU) no Brasil

agriculturaCom o objetivo de identificar experiências positivas no campo da agricultura nos estados do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul, foi instalada na segunda-feira (25) em Curitiba a primeira unidade de coordenação de projetos da Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO) no Brasil.

“É uma experiência de solidariedade muito grande, porque o principal objetivo é levar as experiências bem-sucedidas dos estados do Sul para países da América Latina e para a África e poder trazer técnicos desses países para adquirirem conhecimento aqui”, afirmou o Representante da FAO no Brasil, Alan Bojanic, durante a solenidade de assinatura da instalação na Secretaria de Estado de Agricultura e Abastecimento.

Bojanic também destacou que o acordo é um momento histórico para os estados do sul. “Até hoje, a FAO só tinha escritórios em capitais federais. Esta é uma experiência piloto que pode ser levada para outras regiões do Brasil, como o Nordeste e a Amazônia”, acrescentou.

A unidade, que será coordenada pelo engenheiro agrônomo Carlos Alberto Biasi, contará com dois escritórios no Paraná: um em Curitiba, no Instituto Emater, e outro em Foz do Iguaçu, no Parque Tecnológico Itaipu. A escolha do Paraná como sede se deve à importância agrícola do estado e ao acúmulo de experiências positivas desenvolvidas pelos parceiros nesta ação.

Fonte: onu.gov.br

Em video, astronauta brasileiro e Embaixador da ONU defende energia acessivel, limpa e eficiente

Marcos Pontes (foto), primeiro astronauta brasileiro e Embaixador da Boa Vontade da Organização das Nações Unidas para o Desenvolvimento Industrial (ONUDI), afirma neste vídeo que, apesar de o planeta ser muito bonito lá de cima, é visível a desigualdade de acesso a energia entre seus habitantes.

Para Marcos, é possível tornar a energia global mais acessível, mais limpa e mais eficiente.

A mensagem: “Olá, eu sou Marcos Pontes. Lá do espaço, o nosso planeta é muito bonito. Mas quando olhamos de perto, percebemos que a energia, propulsora do desenvolvimento econômico e social, não está prontamente disponível. Mais de 1.5 bilhão de pessoas, ou um em cada 5 habitantes, não tem acesso a energia básica, permanecendo pobres.

Nós podemos mudar isso. Energia é oportunidade. Ela transforma vidas, sistemas econômicos e o nosso próprio planeta. Juntos com o ONUDI, vamos aumentar o crescimento econômico e garantir um ambiente saudável através de energia acessível, mais limpa e mais eficiente.”

Para mais informações, acesse www.unido.org

Fonte: onu.org.br

Brasileiros podem enviar textos, fotos ou videos para debater tema da Rio+20 em site lancado pela ONU

rio 20Os brasileiros que desejem contribuir com as discussões sobre desenvolvimento sustentável, tema da conferência Rio+20, que a Organização das Nações Unidas (ONU) realiza no Rio de Janeiro em junho, podem enviar textos, fotos ou vídeos para o site http://www.ofuturoquenosqueremos.org.br.

A iniciativa, apresentada dia 14 de Maio no Rio, faz parte de uma campanha de conversa global lançada mundialmente pela ONU, com versões para o árabe, chinês, espanhol, inglês, francês e russo, línguas oficiais das Nações Unidas.

De acordo com o diretor do Centro de Informação das Nações Unidas para o Brasil (Unic Rio) e porta-voz adjunto da Rio+20, Giancarlo Summa, a criação do site pretende mobilizar os brasileiros para que manifestem seu pensamento sobre como seria o futuro num mundo mais sustentável, apresentando problemas e sugestões.

“A discussão sobre desenvolvimento sustentável só será um sucesso se a opinião pública em cada país se envolver e fizer pressão sobre governos e empresas, com contribuições envolvendo o tripé economia, ambiente e social. A nossa proposta aqui no Brasil é envolver a sociedade civil nessa discussão, para que se manifeste sobre o que queremos para daqui a 20 anos”, explicou.

Summa ressaltou que parte do conteúdo postado será apresentada em telões de led no Riocentro, onde chefes de Governo e de Estado se reunirão durante a conferência. “Também estamos pensando em outras formas de fazer chegar diretamente ao governo brasileiro e a outros governos as propostas dessa conversa global, com formas mais inovadoras, com muita internet e pouco papel”, disse.

Ele explicou que o site estará no ar a partir de hoje e que vai receber as contribuições até o fim do ano. “O Brasil é um país muito conectado, onde a internet faz parte da vida de milhões de pessoas. Usando a rede, achamos que vamos influenciar as conversas sobre desenvolvimento sustentável”, destacou.

Para convocar a população a contribuir, foi produzida uma campanha multimídia exclusiva para o público brasileiro, intitulada Eu Sou Nós. Com depoimentos de pessoas famosas e brasileiros comuns, as peças serão veiculadas em televisão, rádio, jornais, revistas e internet. Além disso, uma série de anúncios será exposta em lugares púbicos explicando como participar da mobilização.

Outra iniciativa, também lançada dia 14 de Maio pela ONU no Rio de Janeiro é a Agenda Total (AT), uma plataforma de conversação na internet que vai reunir todas as agendas da Rio+20, incluindo os eventos oficiais da ONU e os paralelos, promovidos pela prefeitura e pelo governo do estado, além da programação da Cúpula dos Povos e da sociedade civil.

agenda totalSegundo Silvana de Matos, coordenadora da AT, o instrumento será a principal forma de interação da ONU com a sociedade brasileira durante a conferência. “São milhares de agendas e precisávamos integrá-las. Ao mesmo tempo, essa ferramenta vai ser o centro de documentação de todo o evento. As pessoas que estão ligadas às instituições [que vão participar da Rio+20] receberão login e senha e poderão publicar data e horário de seus eventos, além de disponibilizar vídeos e imagens em alta resolução”, explicou.

Silvana acrescentou que o projeto vai ajudar aos profissionais da imprensa na organização da cobertura dos eventos e também ao público em geral, que vai ficar sabendo o que vai acontecer na cidade durante a Rio+20. “O público em geral vai ver o que foi publicado, os eventos que acontecerão, os locais e como chegar a eles. Poderá também assistir a palestras e até fazer perguntas por chats”, enfatizou.

O serviço estará disponível no site http://www.agendatotal.org a partir de 8 de junho.

O debate online Rio+20, o Futuro Que Queremos lançado pela ONU servirá para promover o evento no Brasil e torná-lo mais popular. No Rio de Janeiro, por exemplo, enquanto a cidade se prepara para receber a conferência, nas ruas muitos cariocas ainda desconhecem o que será tratado durante a conferência.

A estudante Tatiana Cerqueira, de 17 anos, sabe apenas que não vai ter aula nos dias do evento. “Não estou sabendo de absolutamente nada. Só sei que não vai ter aula, porque os professores já comentaram, mas o que é o evento, eu não sei”, afirmou. O contador Marciele de Souza, de 49 anos, também disse não ter ideia do que se trata. “Não sei nada de Rio+20. Já ouvi falar, mas não sei o que é nem quando vai acontecer”, contou.

A auxiliar de escritório Cirlane de Jesus Santos, de 32 anos, disse ter “um pouco de conhecimento sobre o assunto”, mas não sabe como se envolver ou como participar. “Eu sei que é um projeto que aconteceu há vinte anos e que vai acontecer de novo esse ano e que vem muita gente de vários lugares. Mas não sei como participar ou o que eles vão discutir”, garantiu.

A Rio+20 acontece de 20 a 22 de junho, no Rio de Janeiro, e deve reunir milhares de pessoas, entre políticos, membros de organizações não governamentais (ONGs), representantes da sociedade civil e empresários, além dos chefes de Estado e de Governo. De acordo com a ONU, dos seus 193 países-membros, 183 já confirmaram presença.

Fonte: Agência Brasil

%d blogueiros gostam disto: