Bullying: casos famosos, entenda o que é e combata esta prática

"Há evidência documental que indica que a prática do bullying durante a infância põe a criança em risco de comportamento criminoso e violência doméstica na idade adulta”

 

“A menina que você chama de gorda, passa dias sem comer para perder peso. O menino que você chama de burro, quem sabe tenha problemas de aprendizagem. A menina que você acabou de chamar de feia passa horas arrumando-se para que pessoas como você a aceitem. O menino que você provoca e goza na escola, pode receber maus tratos em casa e você só estará contribuindo para destruir sua auto-estima. Se você é contra o BULLYING (violência psicológica) divulgue a idéia contra esta prática.” (texto da campanha no Facebook)

O termo BULLYING compreende todas as formas de atitudes agressivas, intencionais e repetidas, que ocorrem sem motivação evidente, adotadas por um ou mais estudantes contra outro(s), causando dor e angústia, e executadas dentro de uma relação desigual de poder. Portanto, os atos repetidos entre iguais (estudantes) e o desequilíbrio de poder são as características essenciais, que tornam possível a intimidação da vítima.

Pesquisas indicam que adolescentes agressores têm personalidades autoritárias, combinadas com uma forte necessidade de controlar ou dominar. Também tem sido sugerido que uma deficiência em habilidades sociais e um ponto de vista preconceituoso sobre subordinados podem ser particulares fatores de risco. Estudos adicionais têm mostrado que enquanto inveja e ressentimento podem ser motivos para a prática do bullying, ao contrário da crença popular, há pouca evidência que sugira que os bullies sofram de qualquer déficit de autoestima. Outros pesquisadores também identificaram a rapidez em se enraivecer e usar a força, em acréscimo a comportamentos agressivos, o ato de encarar as ações de outros como hostis, a preocupação com a autoimagem e o empenho em ações obsessivas ou rígidas. É frequentemente sugerido que os comportamentos agressivos têm sua origem na infância:

“Se o comportamento agressivo não é desafiado na infância, há o risco de que ele se torne habitual. Realmente, há evidência documental que indica que a prática do bullying durante a infância põe a criança em risco de comportamento criminoso e violência doméstica na idade adulta”.

O bullying não envolve necessariamente criminalidade ou violência. Por exemplo, o bullying frequentemente funciona por meio de abuso psicológico ou verbal. Os bullies sempre existiram mas eram (e ainda são) chamados em português de rufias, esfola-caras, brigões, acossadores, cabriões, valentões e verdugos. Os valentões costumam ser hostis, intolerantes e usar a força para resolver seus problemas.

Tipos mais comuns de Bullying:

- Insultar a vítima;

- Acusar sistematicamente a vítima de não servir para nada;

- Ataques físicos repetidos contra uma pessoa, seja contra o corpo dela ou propriedade.

- Interferir com a propriedade pessoal de uma pessoa, livros ou material escolar, roupas, etc, danificando-os.

- Espalhar rumores negativos sobre a vítima;

- Depreciar a vítima sem qualquer motivo;

- Fazer com que a vítima faça o que ela não quer, ameaçando-a para seguir as ordens;

- Colocar a vítima em situação problemática com alguém (geralmente, uma autoridade), ou conseguir uma ação disciplinar contra a vítima, por algo que ela não cometeu ou que foi exagerado pelo bully;

- Fazer comentários depreciativos sobre a família de uma pessoa (particularmente a mãe), sobre o local de moradia de alguém, aparência pessoal, orientação sexual, religião, etnia, nível de renda, nacionalidade ou qualquer outra inferioridade depreendida da qual o bully tenha tomado ciência;

- Isolamento social da vítima;

- Usar as tecnologias de informação para praticar o cyberbullying (criar páginas falsas, comunidades ou perfis sobre a vítima em sites de relacionamento com publicação de fotos etc);

- Chantagem.

- Expressões ameaçadoras;

- Grafitagem depreciativa;

- Usar de sarcasmo evidente para se passar por amigo (para alguém de fora) enquanto assegura o controle e a posição em relação à vítima (isto ocorre com frequência logo após o bully avaliar que a pessoa é uma “vítima perfeita”).

- Fazer que a vítima passe vergonha na frente de várias pessoas.

Uma pesquisa do IBGE realizada em 2009 revelou que quase um terço (30,8%) dos estudantes brasileiros informou já ter sofrido bullying, sendo maioria das vítimas do sexo masculino. A maior proporção de ocorrências foi registrada em escolas privadas (35,9%), ao passo que nas públicas os casos atingiram 29,5% dos estudantes.

No Brasil, uma pesquisa realizada em 2010 com 5.168 alunos de 25 escolas públicas e particulares revelou que as humilhações típicas do bullying são comuns em alunos da 5ª e 6ª séries. Entre todos os entrevistados, pelo menos 17% estão envolvidos com o problema – seja intimidando alguém, sendo intimidados ou os dois. A forma mais comum é a cibernética, a partir do envio de e-mails ofensivos e difamação em sites de relacionamento como o Orkut.

Em 2009, uma pesquisa do IBGE apontou as cidades de Brasília e Belo Horizonte como as capitais brasileiras com maiores índices de bullying, com 35,6% e 35,3%, respectivamente, de alunos que declararam esse tipo de violência nos últimos 30 dias da pesquisa.

Casos célebres

Na Grande São Paulo, uma menina apanhou até desmaiar por colegas que a perseguiam e em Porto Alegre um jovem foi morto com arma de fogo durante um longo processo de bullying.

Em maio de 2010, a Justiça obrigou os pais de um aluno do Colégio Santa Doroteia, no bairro Sion de Belo Horizonte a pagar uma indenização de R$ 8 mil a uma garota de 15 anos por conta de bullying. A estudante foi classificada como G.E. (sigla para integrantes de grupo de excluídos) por ser supostamente feia e as insinuações se tornaram frequentes com o passar do tempo, e entre elas, ficaram as alcunhas de tábua, prostituta, sem peito e sem bunda. Os pais da menina alegaram que procuraram a escola, mas não conseguiram resolver a questão. O juiz relatou que as atitudes do adolescente acusado pareciam não ter “limite” e que ele “prosseguiu em suas atitudes inconvenientes de ‘intimidar'”, o que deixou a vítima, segundo a psicóloga que depôs no caso, “triste, estressada e emocionalmente debilitada”. O colégio de classe média alta não foi responsabilizado.

Na USP, o jornal estudantil O Parasita ofereceu um convite a uma festa brega aos estudantes do curso que, em troca, jogassem fezes em um gay. Um dos alunos a quem o jornal faz referência chegou a divulgar, em outra ocasião, estudantes da Farmácia chegaram a atirar uma lata de cerveja cheia em um casal de homossexuais, que também era do curso, durante o tradicional happy hour de quinta-feira na Escola de Comunicações e Artes da USP. Ele disse que não pretende tomar nenhuma providência judicial contra os colegas, embora tenha ficado revoltado com a publicação da cartilha.

Também em junho de 2010, um aluno de nona série do Colégio Neusa Rocha, no Bairro São Luiz, na região da Pampulha de Belo Horizonte foi espancado na saída de seu colégio, com a ajuda de mais seis estudantes armados com soco inglês. A vítima ficou sabendo que o grupo iria atacar outro colega por ele ser “folgado e atrevido”, sendo inclusive convidada a participar da agressão.

Em entrevista ao Estado de Minas, disse: Eles me chamaram para brigar com o menino. Não aceitei e fui a contar a ele o que os outros estavam querendo fazer, como forma de alertá-lo. Quando a dupla soube que contei, um deles colocou o dedo na minha cara e me ameaçou dentro de sala, durante aula de ciências. Ele ainda ligou, escondido, pelo celular, para outro colega, que estuda pela manhã, e o chamou para ir à tarde na escola.

Durante 2010, Bárbara Evans, filha de Monique Evans e estudante da Universidade Anhembi Morumbi (onde cursa o primeiro ano de Nutrição), em São Paulo, entrou na Justiça com um processo de bullying realizado por seus colegas. No dia 12/06/2010, um sábado à noite, o muro externo do estacionamento do campus Centro da referida Universidade foi pichado com ofensas a ela e a sua mãe.

Conscientização é a principal arma contra o Bullying, informe seus filhos, divulgue essa idéia: “Não ao Bullying”

 

About these ads

38 Respostas to “Bullying: casos famosos, entenda o que é e combata esta prática”

  1. luana feliciana Says:

    meu irmão estar passado por isso, mas não sei como ajuda já que a escola não resolve nada.

  2. Bullying: casos famosos, entenda o que é e combata esta prática « When Sun Goes Down Says:

    [...] Bullying: casos famosos, entenda o que é e combata esta prática. Share this:TwitterFacebookGostar disso:GosteiSeja o primeiro a gostar disso. [...]

  3. Vilania Ninaut Says:

    Bom, eu já sofri de bullying quando eu era menor,por eu ser evangelica, e não se encaixar em alguns Grupinhos, hoje em dia não sofro mais, na minha escola atualmente existe alguns casos, mas ninguém percebe, geralmente é através das brincadeiras que se diz a verdade.

  4. Ana Kellen Mota da Silva Says:

    Eu estou fazendo um projeto sobre bullying e gostaria de saber alguns casos de bullying e o que fazer para evitar o bullying por favor me ajude!!!!!!!!!

    • eco4u Says:

      Prezada Ana, neste mesmo artigo você encontrará alguns casos de bullying (Casos Célebres, final do artigo). A forma mais imediata de combater esta prática é relatando o caso aos professores e aos pais para que eles tomem as medidas necessárias para proteger a vítima e repreender e/ou punir os responsáveis.

  5. Helena Says:

    Tenho 23 anos e me até hoje me dói lembrar do que sofri há 14 anos atrás.Por ter uma deformidade na orellha praticamente toda tuda zombava de mim, falavam que eu não era gent,que era bicho,riam.O mais triste é que a professora escutava e nada fazia.Contei para os meus pais na época e minha mãe tentou me convencer que eu eranormal e que nao era para ligar.Tive que aprender a conviver com isso,mas confesso que já pensei até em mutilar essa parte domeu corpo

  6. Fany Says:

    sofro bullying no colegio pois sou gordinha e uso oculos

    • amanda Says:

      não ligue para isso meu bem,foque nos estudos e um dia,essas pessoas que de ofedem ficarão na palma de sua mão

  7. paola bp Says:

    diga ñ ao bullying seja legal com todos os seus colegas

  8. Kariny Rocha Says:

    Sou coordenadora escolar e gostaria de pedir aos jovens que sofrem bullying que confiem em contar sobre o seu sofrimento para os seus pais ou para alguém da escola. Peça ajuda, não tenham vergonha! Muitas vezes a escola só fica sabendo quando a situação já está no limite e aí fica dificil tomar uma atitude…Não tenham medo! Coragem!

  9. Lucas Says:

    Eu ja sofri com isso por eu ter desturbio de fala (gagueira) acredito eu que ninguem e perfeito mais nem todos tem o mesma conciencia por isso precisamos reprime esse tipo de crime.

  10. sabrina1313 Says:

    eu sofri bullyng …..e nao gostei minha escola era aquela em que haviam grupinhos e eu nao me encaixava as meninas me chamavam de gorda e eu ficava sem comer me chamavam de feia e eu me arrumava até que um dia elas falaram de meus pais e eu ingenua disse que iria contar para eles e uma delas falou conte tenho certeza de que eles nao irao ligar e entao eu me irritei com elas mais quem sofreu fui eu…elas me humilharam sombaram de mim entao subi para sala algumas amigas vieram perguntar entao uma delas falou comigo e disse o que foi vc nao é isso fale para seus pais entao nao me aguentei comecei a chorar e sai correndo no caminho tive que passar por pes que queriam que eu caisse e empurroes pela escada me escondi na sala que ninguemsabia onde era e chorei muito eu tinha pensamentos horriveis me imigaginava me contando e etc foram dois anos assim até que contei para meus pais e adivinheim eles nao acreditaram a diretora disse que era normal e nem sequer me confortou ou falou com os pais das garotas quando até que o ano acabou e eu supliquei ir para outra escola por favor eu peço comentarios bons e que me deem força porque sinceramente estou com muito medo daquele inferno voltar novamente!!!!por favor comentem!

    • Milton Says:

      eu sei bem como é isso que vc esta passando,pois eu ainda sou vitima ,mas eu descobri que todos nos somos diferentes um de outro,e quando vc se destaca naquilo que vc é bom então vc passa e ser respeitado,dedique-se a ser especialista,vc tem valor,seja forte que as outras pessoas se apoiarão em vc.A bíblia é uma fonte de vida e de verdades,ali vc encontra sua liberdade,leia e seja alguém que domina situações e veja em vc uma lider em todas as areas de sua vida.

    • luiz claudio moraes Says:

      Meu bem fique em Paz,você sabe que você é melhor que eles,eu passei por isso á muitos anos atráz,eu até pensava que não existia mais isso,sei como se sente,mas tem uma solução pra se sentir melhor,você tem que usar toda essa negação e maldade em seu beneficio,exercitando a alto estima,não é preciso te dizer denovo que és melhor que eles,isso já é evidente,faça coisas que gosta, não te prive da nada,leia muito,procura a cultura util,e se valorize muito,seja seletiva em sua vida sem perder a simplicidade,tenha certeza que tens beleza,inteligencia,cultura,liberdade,direitos,e que pode tudo que seja bom e construtivo,a vingança passa pela nossa cabeça,mas é algo nocivo até para nós as vitimas,e o que não faz bem e nos coloca no mesmo patamar dos outros não é bom pra nós,creio que não gostarias de estar no lugar deles maltratando algum inocente..nunca esqueça a palavra(melhor que eles) se não o fosse não fariam algo assim,é certo que esse melhor em você irrita e torna desconfortavel pra eles…sei que voc~e talves nunca esqueça,mas vai superar…eu nunca esqueci..e até hoje com 50 anos eu acordo em pesadelos que me remetem aqueles dias de tortura,se achegue a coisas boas e bonitas,as boas energias…e siga sempre em frente nunca se feche….vai vencer tenho certeza…abraços do luiz (São Carlos-sp)

  11. Letícia Saraiva Says:

    As pessoas que praticam o bullyng,na verdade apesar de parecerem duronas tem muuuitos problemas em cas geralmente.!E essas pessoas tem que se concientizar que as pessoas da escola,ou de outros lugares onde essas pessoas praticam o bullyng não tem cuupa de naada ^^
    #DIGANÃOPARAOBULLYNG

  12. guilherme Says:

    se quer resolver de uma vez,faça com eu fiz:aprendi a lutar e quando vinha alguem me incomodar eu me defendia.alguns podem achar que estou errada,mas isso resolveu meu problema

    • franklin mateus Says:

      te entendo perfeitamente,foi isso q eu também fiz…
      não aguentava mais ser “zuado” pela turma e essa foi a saída mais fácil que eu encontrei…….

  13. Lucas da Silva Dias Says:

    A punição para o bullying não resolve. A punição incita o praticante a cometer o bullying novamente.
    O que devemos fazer e palestras, debates, e concientizar a população a não praticar e a orientar quem comete o bullying a nao cometer.

    A educação e o que vai acabar com o bullying.

  14. olivia Says:

    ola eu prescisso de ajuda pra fazer uma redaçao sobre o bulling e gostaria de saber se algun de vcs podem me ajudar

  15. Beatriz de Freitas (@bya_freitas) Says:

    que horror veey ! credo ! coitadas dessas crianças !

  16. biazinhaw santos Says:

    o bullying nao e a melhor coisa do mundo

  17. Tais Says:

    Ola, estou fazendo um trabalho para a escola e gostaria de escrever quem escreveu esse conteúdo a cima?

    • eco4u Says:

      Olá Tais, grande parte do artigo veio do Wikipédia, onde foi confeccionado com mais de 50 referências bibliográficas. Desta forma, você poderá citar corretamente o crédito do artigo da seguinte maneira:

      “Fonte: Wikipédia.org / Bullying”

      Bom trabalho para você!

  18. alana moro Says:

    eu sou pela paz!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  19. Julia Says:

    Não adianta vcs ficarem só escrevendo para acabar com ele, tem que ter uma atitude.

    • eco4u Says:

      Escrever sobre o assunto é conscientizar, o que também é atitude, Julia; é a ferramenta que temos à mão e a utilizamos. Por outro lado, cabe aos pais a função mais importante que é a de educar os filhos no sentido de não cometerem atos como esse, e às instituições de punír qualque indivíduo que as cometa.
      Simples mas verdadeira é a idéia de que se todos fizessem um pouco sua parte, muitas injustiças não seriam cometidas.
      Para um assunto tão sério quanto este, quanto mais exposição do problema na mídia, melhor: conscientiza, inibe, educa.

  20. sara luiza Says:

    bullying e uma coisa horrivel isso devia d ser combatido com mais força q agora
    pq naum adinta nada um professor da palestra e isso naum ter fim
    temos q corta esse mal pela raiz….

  21. DANI olisan Says:

    bullying tem q acabar porque os direitos são iguais

  22. greice Says:

    bullying é CRIME!!!!!!
    naum pratiqueo

  23. vivian Says:

    eu acho uma covardia bullying na minha escola muitas pessoas sofre isso mais minha professora de geografia disse que não que ninguém sofre mais os alunos vai falar que esta mautratano outro aluno(a)

  24. guilherme Says:

    o problema é que os professores não sabem lhe dar com o bullying,ja passei por esse inferno e sei como e ruim.

  25. MARLY MARTINS Says:

    Quando uma criança sofre bullyng, o sofrimento é de toda a família, de toda a sociedade.
    Caros juizes,toda instituição que tolere esta prática deve ser responsabilizada civil e criminalmente, pois nós pais deixamos nossos filhos naresponsabilidade da escola e na mão dos educadores, eles devem, teem a obrigação de estarem atentos a esta prática e não permitirem.
    Devemos todos nos envolver e fazer um movimento de prevenção e não de tolerancia ou de esperar que o bullyng aconteça para então tomar providencias.
    NÃO AO BULLYNG JÁ.

  26. gileuza Says:

    O mundo foi feito para direitos iguais e não desniguais

  27. amanda Says:

    o bullying tem que acabar porque os direitos são iguais.

  28. vamos acaba com o bullying Says:

    Vamos acaba com bullying, seja um boa pessoa para todos os sseus amigos!!!!!!!!


Deixe uma resposta - Lembramos que não serão permitidos comentários com conteúdo ofensivo

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 7.630 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: